Katherina

Vista-se de longe como quem se projeta. Corre pra praia. Paira. Dilua-se nas águas do inverno de outro alguém. Deixa o sangue caiçara da terra gelada as margens do rio que te leva além. Pega as malas e distruibui-se no mundo. Mas não se perde daquilo e daquele te chamou. Fuja dos lagos imundos. Não traga nada a não ser um amor surdo. Surta com frequência alta como um raio e saberás as torres que te sustentam e o chão que te caleja e alivia os pés. E se “todas as famílias felizes são iguais. As infelizes o são cada uma à sua maneira”, você sabe a dor que te trouxe ao mundo. As mãos e os olhos que não te deixaram padecer. Agora segue. Porque naquela curva turva, quero te ver.

Anúncios

Não Há No Mundo Gente Mais Sem Lágrimas

Não estou com aqueles que abandonaram a terra
ás dilacerações do inimigo.
Às suas grosseiras lisonjas não cedo.
A eles não darei minhas canções.

Para mim, o exilado é digno de dó,
como quem está preso ou está doente.
Sombria é a tua estrada, peregrino,
vermes infestam o teu pão estrangeiro.

Mas aqui, em meio à fumaça do incêndio,
que consome o que resta da nossa juventude,
sabemos que nem um pouquinho
nos afastamos de nós mesmos.

E sabemos que, na hora do acerto final,
cada um de nossos momentos será justificado…
Não há no mundo gente mais sem lágrimas,
mais simples e orgulhosa do que nós.

Anna Akhmátova

(H)À(s) Vozes Que Não Clamam!

“…e se necessário use palavras“ me soou muito belo num primeiro momento. Mas pensando a respeito, chego a conclusão que coibir a voz ou lança-la num segundo plano, é cometer assassinado em massa, ou suicídio dependendo do ponto de vista.
Parafraseando Tolstoi, acredito que O Reino de Deus está em voZ.
Devemos nos atentar… ouvir… aprender…

“A sabedoria clama em voz alta nas ruas, ergue a voz nas praças públicas; nas esquinas das ruas barulhentas ela clama, nas portas da cidade faz o seu discurso: “Até quando vocês, inexperientes, irão contentar-se com a sua inexperiência? Vocês, zombadores, até quando terão prazer na zombaria? E vocês, tolos, até quando desprezarão o conhecimento?“ Proverbios 1:20-23

E  PRAXIS exige mais VOZ ainda!

“Erga a voz daqueles que não podem defender-se, seja defensor de todos os desamparados. Erga a voz e julgue com justiça; defenda o direito dos pobres e necessitados“ Proverbios 31:8-9

E mesmo quando a velhice chegar, parafraseo Rubem Alves

“Por fim, sem fogo ou floresta, sem canções ou palavras, somente o infinito desejo e o silencio… e Deus tudo entendeu…“

Por fim, Hosana! Maranata!