Criamos um Sistema Suicida

Estava ouvindo “Songs For a Revolution Hope”, um dos projetos musicais do controverso (e querido) Brian D. McLaren.
Me deparei com essa musica/discurso que me deixou um tanto atordoado e pensativo como há muito tempo não ocorria. Segue uma livre tradução que realmente gostaria que você lesse e ouvisse. Quem sabe não compartilhemos o incômodo e a disposição.

http://brianmclaren.bandcamp.com/track/11-57

11:57

Criamos um sistema suicida e dissemos que estava predestinado. Dissemos que o diabo nos forçou a fazer isso. Dissemos um monte de mentiras. Era um sistema de injustiça construído em arrogância e ganância. Era um império para os poderosos e um inferno para os necessitados. Um sistema suicida. Continuar a ler

Anúncios

“Não Existe Uma Igreja Assim…”

Meu amigo Tony Campolo […] se encontrava em um local que tinha um fuso horário bem diferente e não conseguia dormir. Então, bem depois da meia-noite saiu perambulando até chegar a uma confeitaria. Algumas prostitutas locais também ali entraram no meio da madrugada, depois de suas atividades habituais. Lá ele não pôde evitar de ouvir uma conversa entre duas delas. Uma, chamada Agnes, disse à outra: “Sabe de uma coisa? Amanhã é meu aniversário. Vou fazer 39 anos. […] Nunca tive uma festa de aniversário em toda minha vida […].

Quando saíram, Tony teve uma idéia. Perguntou ao proprietário da confeitaria se Agnes ia lá todas as noites, e, quando ele disse que sim, convidou-o a participar de uma conspiração para organizar uma festa surpresa. Até a esposa do proprietário se envolveu. Juntos, arrumaram um bolo, velas de aniversário e decoração para que festejassem com Agnes, que para Tony não passava de uma completa estranha. Na noite seguinte, quando ela entrou, todos gritaram: “Surpresa! Surpresa!” – e Agnes não podia acreditar no que seus olhos estavam vendo. Os fregueses da confeitaria cantaram e ela começou a chorar tanto que mal conseguiu soprar as velinhas. […] Em seguida, ela saiu carregando seu bolo como se fosse um tesouro.

Tony conduziu os convidados em um momento de oração por Agnes e o proprietário da loja disse que não fazia a menor idéia de que Tony fosse um pregador e pastor. E então perguntou a Tony de que tipo de igreja ele era. Tony respondeu que era de uma igreja em que se dão festas de aniversário para prostitutas às 3:30 horas da madrugada. O homem não podia acreditar. “Não, isso não é possível. Não existe uma igreja assim. Se existisse, eu me juntaria a ela. É, com certeza eu faria parte de uma igreja desse tipo”.

Extraído do Livro A Mensagem secreta de Jesus, de Brian McLaren

VIA