Anacrônica

Me diz inconstante. Quieta indiscrição. Aperta o passo não com pressa, mas sente o peso da partida. Sendo que, paradoxalmente, deveria estar mais leve já que deixa uma parte de si. Me diz cortante. Silêncio ruidoso. Sangra os olhos com lágrimas que lavam o vidro sujo do ônibus. Palpitação ao vê-lo em outra direção. Me diz sufocante. Ingrata decisão. E não finda a paga da data de expiração. E desce rugindo, calada, sem coragem de abrir o guarda chuva. E se senta a calçada em completa epifania e acensão. E se liberta do plumo das complexas ligações, aquelas mesmas a cobrar. E reflete o céu azul por trás da tempestade. E brilha e aquece transeuntes, curiosos, meliantes e os que, naquele dia, perderam o coração. Porque o preço da partida é deixar as algemas na mala, debaixo da beliche da pensão.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s