Seu

E o meu sorriso tenta sustentar o seu
E o seu equilíbrio, desequilibra o meu
E esse raciocínio que não consigo entender
Não deixa de ser
E o fato de não conseguir demonstrar
As vezes, é falta de ar

E a minha mão se entende ao seu
Horizonte infinito
Caminho que nunca arrefeceu
E as estrelas que inspiram
Explodem o céu
O mesmo céu de Prometeu
O meu e o seu

E o fogo extingue
A lenha molhada não esquenta
Mas é abrigo
Aquece
Esquece
Se vai
Se foi

Pena que você não possa ver
Porque, ainda sim
Meu sorriso tenta sustentar o seu

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s