O Falso “EU”

“O eu secular ou o falso é o eu que é engendrado, como diz Thomas Merton, por compulsões sociais. “Compulsivo” é o melhor adjetivo para o falso eu. Mostra a necessidade de afirmação contínua e crescente. Quem sou eu? Sou aquele que é apreciado, elogiado, admirado, antipatizado ou desprezado.Quer eu seja pianista, negociante ou religioso, o que importa é como eu sou percebido em meu mundo. Se estar atarefado é uma coisa boa, então preciso estar atarefado. […] A compulsão se manifesta no medo oculto de fracassar e no impulso inabalável de evitar isso juntando mais das mesmas coisas – mais trabalho, mais dinheiro, mais amigos.”
A luta contra o falso eu […] está muito além de nossas forças. Quem quer combater seus demônios com as armas que tem é tolo. A sabedoria do deserto afirma que o confronto com o nada aterrador força-nos a nos entregar total e incondicionalmente ao Senhor Jesus Cristo. Sozinhos, não sabemos enfrentar ‘o mistério da iniquidade’ e ficar impunes. Só Cristo supera os poderes do mal. Só nele e por intermédio dele sobrevivemos às provações de nossa solidão”

Henri Nouwen
Livro: Espiritualidade do Deserto e o Ministério Contemporâneo (2000)
Citado em “Feridos em Nome de Deus” da jornalista Marília de Camargo Cézar.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s