Reflexão Sobre a Esperança

Estou cansado dos mesmos rostos. Não que eles tenham me feito algo, mas cansei de vê-los caminhando, às vezes correndo desesperadamente, ou exatamente nos mesmos lugares após anos. O sonho da maioria das pessoas que conheço perpetuam suas próprias estagnações. Muitos que alcançaram a plenitude planejada para suas vidas me deixam na dúvida quando um sorriso amarelo se esboça, mostrando que a plenitude não é necessariamente felicidade. Não que eu tenha alguma coisa a ver com isso, mas sou observador.

Por isso não poucas vezes vi pessoas abrindo mão da felicidade em busca da tão almejada plenitude. Mais triste ainda é ver outras pessoas abrindo mão de si mesmas para fazer valer a plenitude da vida de outros, com a justificativa de amá-las. Amor estranho. Estou cansado de tanta tolice travestida de sabedoria, tanta informação e tão pouco conhecimento.

Fico pensando na criação. Quais seriam as aspirações de Adão e Eva? Digo isso porque se você perguntar quais os sonhos e objetivos das pessoas, a grande maioria vai responder algo ligado diretamente a conseguir coisas e objetos. Será que é para isso que existimos? Só para isso? Estou cansado. Tanta gente nascendo, tanta gente morrendo, e nada mudando. Comentamos, teorizamos, idealizamos, conspiramos, concordamos, mas o plano de fuga está só no papel. Sim, sinto lhes informar que ainda estamos na Matrix. A paisagem pode ter mudado, mas ela está lá, mais viva do nunca.

Porém, a questão é: estou cansado dos mesmos rostos porque eles lembram o meu. É como se ver num espelho estilhaçado. Ainda assim, não acredito que sejamos cartas marcadas do destino. Não consigo não ter esperança. Na verdade, acho que a verdadeira esperança só existe frente à realidade. Quando se sabe exatamente onde está e quem é, ou exatamente o oposto, quando não se sabe onde está nem quem é, mas tem o vislumbre aonde gostaria de chegar, é ali que a esperança se manifesta.

“Quem fica observando o vento não plantará, e quem fica olhando para as nuvens não colherá. Assim como você não conhece o caminho do vento, nem como o corpo é formado no ventre de uma mulher, também não pode compreender as obras de Deus, o Criador de todas as coisas. Plante de manhã a sua semente, e mesmo ao entardecer não deixe as suas mãos ficarem à toa, pois você não sabe o que acontecerá, se esta ou aquela produzirá, ou se as duas serão igualmente boas.” (Eclesiastes 11: 4-6).

*Só quem se perdeu pode dizer
Quanto vale uma palavra no meio da estrada
Só quem já chorou pode dizer pode dizer
Quanto vale uma alegria na madrugada
Quando a madrugada começa a amanhecer

Eu olhei por céu e vi o sol nascer
Eu vi mais, muito mais do que os olhos podem ver
Não foi desenho em nuvem
Nem chuva na estação
Nem astro nem nave
O que eu vi foi o chão
Para andar, me perder, me encontrar sem precisar voltar
Nem fugir, nem sofrer: o que eu vi foi você

*Letra: Chão Artista: Madalena, GO!

Anúncios

2 pensamentos sobre “Reflexão Sobre a Esperança

  1. E o texto do final só poderia ser Eclesiastes!!!!
    Li um livro baseado nele e na insatisfação de Salomão.
    Já que vc éh viciado em livros, já deve ter lido, senão; recomendo.
    O livro mais mal humorado da Bíblia – Ed René Kivitz.

    Concordo com tudo, concordo com Salomão, só que tbm não achei uma saída pra sair da situação que causa descontentamento e sensação de correr atrás do vento.

    Se achar primeiro ..me conta.

    • Esse livro é muito massa mesmo. Estava lendo emprestado de um amigo, mas tive de devolver. Vou comprar pra terminar de ler!

      É… essas crises existenciais…rs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s