Cansei de falar de Amor

Faz um bom tempo que tenho pensado sobre isso. Cansei de separar um tempo para ler textos em blogs e ver a maioria deles falando de amor… a revolução do amor e bla bla bla. Qualquer coisa que indicasse esse assunto, eu simplesmente comecei a ignorar.

Parei para ordenar meus pensamentos a respeito disso. O porque dessa “aversão”? Entendi que de certa forma, muitos de nós cristãos estão simplesmente escrevendo a respeito de “assistencialismo emocional”, no sentido literal da palavra assistencialismo, e consequentemente, perpetuando a situação de muitos. E acrescido disso, nossa filosofia tem tendido muito ao humanismo. O amor é muito importante. A Bíblia é clara nisso. “Se não tivesse amor, nada adiantaria”. Mas ele não é maior que Deus. E foi ai que muita gente se perdeu. Tirou Deus da jogada. E ficou só o “eu” e o “próximo”. Não sei se estou me fazendo claro, mas coincidentemente, estava lendo “Convite a Loucura” do Brennan Manning e no capitulo 4 (A Descoberta do Pai) ele conseguiu expressar exatamente o que quero dizer. Vou deixar um trecho que consegue ser um bom resumo sobre esse assunto.

“Jesus não esconde aquilo em que sua mente está focada.

Certa ocasião, um perito na lei levantou-se para pôr Jesus à prova e lhe perguntou: “Mestre, o que preciso fazer para herdar a vida eterna?” “O que está escrito na Lei?”, respondeu Jesus. “Como você a lê?” Ele respondeu: ” ‘Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’ Disse Jesus: “Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá”. Mas ele, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: “E quem é o meu próximo?” Lucas 10:25-29

Jesus respondeu com a parábola do bom samaritano para explicar a segunda parte do grande mandamento. Mas ninguém lhe pediu que explicasse a primeira parte do grande mandamento. Até hoje passamos uma grande parte do tempo em nossas igrejas falando sobre amar o próximo (embora passemos pouco tempo agindo assim de fato) e, no entanto, raramente consideramos o que significa amar a Deus de todo o coração, toda alma, toda força e toda mente. ” (Pag 79 e 80)

É disso que estou falando Ser Cristão é ser um pequeno cristo. O amor ao próximo deve ser uma revelação do nosso amor a Deus. Do nosso relacionamento com Ele. Há uns 3 meses atrás fiz um sermão sobre Amor. No final eu não sabia dizer o que é o amor. Mas parafraseando Renato Russo “Quem inventou o amor, me explica por favor”. E foi nessa conclusão que cheguei… que só é AMOR VERDADEIRO se manifestar a glória, a graça e o próprio AMOR de Deus. Aplique isso a todos os “tipos” de amor e o mundo será outro.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Cansei de falar de Amor

  1. Excelente, brow… Existe na verdade um “triângulo amoroso”, se assim eu posso colocar. É impossível amar a Deus, sem que amemos o nosso próximo; no entanto, esse Amor pelas pessoas fundamentando na verdade, compaixão e responsabilidade é consequência de uma vida que busca Amar a Deus acima de todas as coisas!

  2. Muuito Massa, amado…

    o amor tem sido tão banalizado, que eu não vejo outtro senão o cumprimento da profecia que o amor iria esfriar…

    a gente até cansa de falar de amor…
    só não dá pra cansar de vivê-lo …

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s