Deus e nossas suposições!

Esse texto eu escrevi sobre o título “Deus, um delírio?” para o Solomon1 em 2008. Em vista de muitos debates a respeito da bondade de Deus, teismo aberto e outros, resolvi re-publicar aqui no blog. Sei que ele é bem superficial para algumas questões, mas serve como reflexão.  Nesses últimos dia tenho ouvido muito a banda Augustana. Conheço eles relativamente a pouco tempo e por isso fui atras das letras pra sacar qual o contexto lírico. Confesso que me surpreendi um pouco. Pela linha de som que eles fazem, achei que seriam letras sobre paixão, romance, relacionamentos quebrados e etc. Não que as músicas deles não tenham esse apelo, mas prestando atenção a letra da música Dust, você se depara com as seguintes frases… “Cause I believed in the Lord But he don’t show up anymore” (Porque eu acreditei em Deus mas Ele não aparece mais)… “If you can’t love sin, who can you love?” (Se você não pode amar o pecado, quem você vai amar?” Eu, como músico, entendo que não se escreve uma letra com esse conteúdo sem um porque. Então lá vai eu novamente pesquisar sobre a banda. Não foi tanta surpresa descobrir que Dan Layus, vocalista do Augustana engrossa a lista de pessoas que “nasceram dentro da igreja” e que hoje são totalmente céticos quanto a Deus. Ele me faz lembrar Katheryn Hudson, que aos 15 anos cantava na igreja e chegou até a gravar um CD com músicas cristãs e hoje é conhecida como Katy Perry e a compositora de um dos grandes hits da atualidade. “I kssed a girl and i liked it” (eu beijei uma garota e gostei) é a frase que ecoa em sua música.  Em uma entrevista, Dan diz o seguinte sobre sua “vida cristã” na época da escola.

“Eu era muito jovem para entender qualquer coisa e eu praticamente me sentia espiritualmente usado. Ao longo do ensino médio (em uma escola cristã) fiz coisas da qual sinto vergonha hoje. Eu tinha a mente tão fechada naquela época. Mas você não pode culpar a si mesmo quando se tem 15 ou 16 anos e seus pais e todos a sua volta dizem que tem que ser assim”.

Ele continua… “Finalmente eu comecei a ver as coisas um pouco mais claras. Parte disso se deu por que eu estava ligado a amigos que estavam se sentindo como eu. Então as coisas começaram a mudar e eu abandonei essa forma pensar”. Garimpando um pouco mais sobre essas afirmações de Dan, vi um post de um amigo da época falando sobre a relação deles com Deus. “Nós subiamos uma montanha aqui perto para gastar tempo com Deus. A gente se reunia na escola toda terca feira para orar. A gente ministrava louvor junto na igreja. Isso tudo, sem nunca haver um pastor nos pedindo e/ou mandando fazer essas coisas. Ele (Dan) sempre o fez porque quis, e nao porque alguem pediu (nem mesmo eu)” Um outro caso de abandono da fé cristã foi Gary Lenarie, ex-guitarrista e co-fundador da Banda Tourniquet, uma das mais expressivas bandas cristãs de metal no mundo. Gary abandonou a fé pela ciência, Deus pela Lógica. Inclusive chegou a lançar um livro chamado AN INFIDEL MANIFESTO – Why Sincere Believers Lose Faith (Um manifesto infiel. Porque crentes sinceros perdem a fé). Michael Shermer, escritor e fundador da Skeptic Magazine e colunista da Revista Scientific American faz o seguinte comentário sobre Lenarie.

“Nenhum cristão pode acusar Lenaire de não ser um crente verdadeiro, ou de ser desonesto, ou de ser tentado pelo Diabo, ou qualquer uma das desculpas dadas quando alguém abandona a fé. Gary Lenaire é um homem honesto com integridade e caráter, e deixou a igreja porque ela não fazia mais sentido racionalmente para ele”

OK! Onde eu quero chegar com tudo isso? Deus é ilógico e totalmente fora de qualquer padrão. Essa é uma verdade que não se explica. Ou você crê ou você não crê. Não tem meio termo. C.S. Lewis comenta algo parecido sobre Jesus em seu livro Mero Cristianismo.

“Estou tentando aqui evitar que alguém diga a tolice que muitos costumam dizer sobre Ele: ‘Estou pronto a aceitar Jesus como um grande Mestre moral, mas não aceito Sua afirmação de ser Deus’. Essa é uma coisa que não devemos dizer. Um homem que tenha sido apenas homem e tenha dito o tipo de coisas que Jesus dizia não seria um grande mestre moral. Ou seria um lunático – do tipo de pessoa que diz que é um ovo cozido – ou então seria o diabo do inferno. Você precisa fazer a escolha. Ou esse Homem era, e é, Filho de Deus, ou seria um louco ou ainda pior. Você pode considerá-Lo tolo, pode cuspir nEle e matá-Lo como um demônio; ou pode cair aos Seus pés e chamá-Lo Senhor e Deus. Mas não venha com essa tolice de que Ele foi um grande mestre humano. Ele não deixou aberta essa possibilidade para nós.”

Apartir do momento que você se declara Cristão (ou não), Ele É o Eu Sou (Independente de você). Usando a minha própria vida como base para essa afirmação, nosso problema em entender Deus são todas as SUPOSIÇÕES que fazemos dEle, tendo em vista o contexto e o momento de cada um. Deus pode ser muito bom quando vou retirar meu carro novo na conscessionária, mas Deus pode ser muito mau quando eu não consigo pagar a prestação do mês. Temos vários conceitos de bondade e lógica para com Deus. Mas qualquer conceito cai por terra apartir do momento que entendemos realmente que NÃO SOMOS DIGNOS de nada, mas foi a misericórdia e o favor de Deus nos alcançou. Mark Driscoll cita o seguinte.

“A questão não é se Deus é bom ou não. É se nós confiamos nEle ou não. Essa é a questão”.

A biblia deixa claro que não saberemos tudo sobre tudo e todos. Ser cristão não é lógico. Ser cristão não é viver uma vida de riqueza, saúde e alegria em toda sua plenitude. Paulo chorou, João chorou, Martin Luther King Jr chorou, Madre Teresa chorou… JESUS CHOROU.  Como ja falei acima, nosso problema com Deus, e consequentemente com o cristianismo, são as nossas suposições. Consciente ou inconscientemente, muitas vezes a gente se acha mas esperto que Deus. Dando “dicas” pra Deus de como Ele deveria ou não agir. E quando Ele foge do nosso padrão ficamos todo chateadinho e emburrado com Ele. Até questionando Sua existência.

“…Deus é só um pensamento dentro da sua cabeça Ou ele faz parte de você? Cristo é só um nome que você leu em um livro Quando você estava na escola?… Talvez você pensará, antes de dizer que Deus está morto e enterrado Abra seus olhos, apenas perceba que ele é o único O único que pode te salvar agora De todo esse pecado e ódio”

(After Forever – Black Sabbath)

“Porque a loucura de Deus é mais sábia que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte que os homens.” (I Coríntios 1:25)

“Pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para confundir os sábios; e Deus escolheu as coisas fracas do mundo para confundir as fortes;” (I Coríntios 1:27) Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. (João 3:16-17) __________________________ Não deixe de ler a trackback escrita por J. Monaco – “Deus, A lógica e o Pó de Zinco”

Anúncios

2 pensamentos sobre “Deus e nossas suposições!

  1. Pingback: Tweets that mention Deus e nossas suposições! « Estranho mundo de ROD! -- Topsy.com

  2. Muito massa mano, nossas suposições sobre Deus nos fazem criar um deus nosso, que muitas vezes é bom, outras vezes é mal, mas nunca é o Deus verdadeiro que está na loucura do impossível, do imensurável.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s